domingo, dezembro 21

Dias de uma estagiária #11

   Be free

Muita coisa a mudar, muitas mudanças à porta, muitas coisas diferentes do que eu esperava. Mas só posso ver isto de uma forma: que nem sempre aquilo que idealizamos e estipulamos como é certo acontece, mesmo quando nos dão isso como certo. 
Iniciei o meu estágio num hospital, a mais de 55 km de casa, por escolha minha, pois lá poderia trabalhar com população clínica para a minha tese. Começou mais tarde do que contava, o que já me estava a alterar o calendário da investigação da tese, pouco antes de começar soube que não seria possível trabalhar com população clínica. Fiquei de pés e mãos atadas e eis que surgiu luz: um outro hospital sugeriu que alguém da minha faculdade realizasse algumas horas lá porque o serviço era novo, o trabalho era muito e surgiu um caso especial que precisava assim de uma atenção especial. Fui convidada e claro que aceitei, abriu-se uma porta para a minha tese. Mantive o estágio no outro hospital e comecei a tentar acertar as coisas no outro, tive uma reunião e daí pensei nas mil coisas que tinha para fazer, sentia-me (e ainda sinto) sem mãos a medir, mas estou a tentar não entrar em pânico. Agora há uns dias percebi que ia ficar (à partida) sem estágio no outro hospital, porque as psicólogas que lá estão vão embora no final do primeiro mês do ano. 
E agora eu penso: e se não tivesse tido aquela proposta? E se eu não tivesse aceite aquela proposta por achar que não dava resposta pela carga de trabalho? Quem é que me ia aceitar agora? Que é que ia aprender só em 3 meses? 
Surgiram-me muitas perguntas, aquele que era para ser o meu porto de abrigo para estágio e tese deixou de ser primeiro um e deixará de ser para o outro. No meio de tudo isto, nos últimos dias tenho-me sentido despistada: esqueço-me das coisas, não consigo fazer o que quero, o resultado do meu trabalho não está a ser tradução de como eu sou e como costumo fazer o meu trabalho. 
Moral da história? Nunca coloquem muitas/todas as vossas expectativas na mesma coisa ou pessoa e deixem que as coisas surjam aos poucos, e vão lidando com os recursos que têm no momento.

9 comentários:

P' disse...

Estamos sempre a aprender pois a vida encarrega-se de nos ensinar. Força *

Denise Ramos disse...

muita força muita confiança em ti propria so tu podes construir o teu caminha lembra te tu e os outros ao lado quem quiser estar para ti esta quem nao quiser nao te deixes abalar segue o teu instinto e cuida-te linda... toda a sorte do mundo ♥

catarina disse...

tenho um desafio para ti no meu blog :)

catarina disse...

r: a mim ainda faltam-me 2 presentes o da minha mãe e do meu namorado *.*

C. disse...

Gostaria de te desejar um santo Natal junto de quem mais gostas e muitas prendinhas eheheh
Beijinhos *

Kiara disse...

Mas quando se comprometem a aceitar um estagiário, não deviam cumprir o tempo que deve ser estipulado? Ai, nunca pensei que pudessem haver tantas confusões com um estágio :o Espero que isso não aconteça comigo, embora no meu caso também não podem "aldrabar muito"...

Miguel Gouveia disse...

Olá :')
Não conhecia o teu blog mas como gostei já o estou a seguir. :D Podes fazer o mesmo de volta?
Miguel Gouveia,
http://lifealawaysgoes.blogspot.pt

catarina disse...

r: de nada :)

Bê. disse...

Cada vez que ouço/leio essa moral, seja por essa ou por outras palavras, até tremo. É tão difícil quanto necessário.